• pt-br
+55 (48) 3239-2000
comercial@certi.org.br
  • pt-br

Manufatura aditiva: a solução ágil e flexível da Indústria 4.0

COMPARTILHE ESSE POST:

A Indústria 4.0 é composta por vários pilares que são capazes de transformar a rotina no campo fabril. 

Essa era tecnológica é resultado de uma série de processos de digitalização das atividades industriais, como integração de dados, comunicação entre máquinas e processos inteligentes, por exemplo.

Entre alguns aspectos importantes a serem observados na Indústria 4.0, a manufatura aditiva chega como um método transformador na fabricação de produtos e equipamentos. 

De maneira geral, ela utiliza técnicas de impressão 3D para criar objetos, tendo como base modelos digitais. Conheça mais sobre essa tecnologia e saiba em que ocasiões ela pode ser aplicada.

O que é manufatura aditiva?

A manufatura como um todo é o conceito de um processo de produção fabril de qualquer tipo de objeto. Ele pode ser efetuado de diversas formas, levando em consideração as técnicas utilizadas e o cenário de aplicação.

Um dos tipos de manufatura existentes e que está cada vez mais tomando espaço nas fábricas e indústrias como meio inovador e eficiente de produção é a manufatura aditiva

Considerado um dos pilares da Indústria 4.0, o processo utiliza como base modelos 3D dos objetos a serem produzidos.

Ao contrário de outros métodos, como a manufatura subtrativa, este não utiliza blocos já existentes de materiais para serem modelados. Nesse tipo de produção, os objetos são criados camada a camada com a matéria-prima que melhor se adequa ao projeto, seguindo o modelo 3D criado de forma digitalizada.

Dessa maneira, estabelece-se uma comunicação entre máquinas – o computador no qual foi criado o modelo 3D e o maquinário responsável pela impressão que recebe as informações – caracterizando o método dentro do cenário da Indústria 4.0.

O uso de métodos relacionados à manufatura aditiva, entretanto, não exclui a utilização de outras metodologias, como as utilizadas na manufatura subtrativa, por exemplo. Diferente do que se pode achar, os dois não são exclusivos, mas sim complementares.

Conheça os benefícios da manufatura aditiva

Além de trazer um aspecto tecnológico e soluções inovadoras para projetos nos quais são aplicados, os processos da manufatura aditiva oferecem uma série de vantagens para as indústrias que os utilizam. Conheça os principais benefícios:

Flexibilidade e agilidade

Necessitando apenas do software e do maquinário de criação, além do conhecimento técnico do responsável pela execução do projeto, o método torna-se uma opção ágil e de baixa complexidade.

Redução de custos

Além de permitir a criação de peças em pequenas quantidades para testes e aprovações, a manufatura aditiva também enxuga gastos com matéria-prima, logística e maquinário.

Sustentabilidade

O baixo consumo de materiais para a criação dos objetos faz com que os processos sejam menos prejudiciais ao meio ambiente, já que produzem menos resíduos e gastam menos energia elétrica.

Projetos customizados

A possibilidade de desenvolver antecipadamente o projeto do objeto a ser criado faz com que as entregas sejam personalizadas de acordo com a necessidade específica de cada cliente.

Quando utilizar esse método no seu projeto?

Existem diversos cenários de aplicação onde esse processo de produção pode ser aplicado.

A necessidade de utilizar o método deve ser avaliada pelos profissionais envolvidos, de maneira a encontrar a melhor forma de aplicar as técnicas para solução de problemas ou criação de novas ferramentas.

De modo geral, a manufatura aditiva é um processo complementar e chega para ampliar o leque de possibilidades para a concretização de um determinado projeto.

Quando inserida de maneira complementar com a manufatura subtrativa, por exemplo, a metodologia pode ser a ferramenta ideal para dar o acabamento para um projeto complexo já criado. 

A resolução ágil de problemas também é um cenário de aplicação bastante comum dessa solução. Em um contexto onde uma peça importante de um veículo ou maquinário é danificada e o conserto deve ser feito de forma imediata, por exemplo, a otimização de tempo entra como importante quesito.

Em situações desse tipo, a peça pode rapidamente ser desenvolvida em um projeto 3D e fabricada em um ou dois dias utilizando as técnicas da manufatura aditiva, enquanto com a manufatura convencional poderia levar muito mais tempo.

Outra possibilidade é a criação de protótipos. Quando um projeto está em desenvolvimento, é importante realizar testes para ter certeza de que as análises estão seguindo o caminho correto. 

Por isso, a possibilidade de criar apenas uma peça para testes por meio da manufatura aditiva serve como uma forma eficaz e econômica de dar andamento ao projeto.

Conte com a CERTI para aplicar a manufatura aditiva no seu projeto

Na CERTI, contamos com um time de especialistas capazes de orientar e direcionar seu projeto da melhor maneira possível, avaliando se há a necessidade de utilizar técnicas de manufatura aditiva.

Em um projeto desenvolvido pela equipe da CERTI, foi realizado um estudo de viabilidade de fornecimento de peças de reposição por meio dessa técnica. 

Nesse cenário, o cliente pode, ao invés de montar um grande estoque com determinadas peças, desenvolvê-las conforme a necessidade.

A estratégia teve como base uma análise de viabilidade técnica e econômica, que possibilitou identificar os fatores com maior impacto nos custos das matérias primas e na otimização de mão de obra.

Quer contar com a consultoria dos profissionais da CERTI para encontrar a melhor solução para seu projeto? Fale conosco agora

COMPARTILHE ESSE POST: