• pt-br
+55 (48) 3239-2000
comercial@certi.org.br
  • pt-br

Microrredes: tendência na gestão de energia no agronegócio

COMPARTILHE ESSE POST:

O agronegócio é fundamental para a economia e não pode parar. Inúmeras atividades agrícolas são realizadas 24 horas por dia e dependem de eletricidade para garantir o andamento dos trabalhos. 

Portanto, o fornecimento de energia deve ser constante e estável. Tecnologias desenvolvidas para que isso seja possível já estão disponíveis no mercado. 

É o caso das microrredes, sistema que soluciona problemas de instabilidade ou corte de energia elétrica. Ele direciona o consumo da rede para outras fontes de energia além da convencional oferecida pelas concessionárias. 

Neste artigo, você vai entender essa tendência e quais são as vantagens para o agronegócio. Acompanhe!

Tendências na gestão de energia elétrica para o agronegócio

Os sistemas de microrredes são uma tendência na gestão de energia elétrica para o agronegócio pois proporcionam mais segurança, qualidade e confiabilidade ao fornecimento de energia elétrica. 

Eles são soluções sustentáveis e econômicas compatíveis com fontes renováveis e com recursos energéticos distribuídos. A utilização das opções de energia limpa — a exemplo da energia fotovoltaica, eólica, biogás, entre outras —, otimiza a produção sustentável e traz economia aos projetos onde são aplicadas.

Assim, as microrredes podem ser um caminho para adequação a critérios ESG (governança ambiental, social e corporativa). 

Também há a possibilidade de utilizar fontes de energia alternativas. Desta forma, insere-se no contexto da geração de energia distribuída, que permite ao consumidor uma independência das concessionárias. 

No Brasil, a geração e distribuição da energia ainda faz parte do comércio das grandes distribuidoras e tarifas governamentais. Entretanto, seguindo o exemplo europeu, o País está começando a implementar o mercado livre de energia, descentralizando a distribuição do serviço e incentivando a criação de novas opções

Saiba mais: Mercado livre de energia: abertura e novos modelos de negócio

Microrredes: o que é e por que adotar no setor agrícola

De maneira geral, um projeto de microrredes consiste no gerenciamento de energias alternativas quando houver uma falha na distribuição da energia elétrica fornecida pelas concessionárias.

Mas antes de aprofundar o conceito de microrredes é importante entender o contexto da distribuição de energia no cenário agrícola e saber da importância de uma rede estável para o andamento eficaz dos trabalhos.

Independente do ramo de atuação dentro do mercado de agronegócio, fazendas e demais propriedades rurais têm diversos processos e atividades realizadas diariamente e que necessitam, em sua maioria, de algum tipo de fonte de energia.

O contexto do cenário rural

Alguns exemplos de nichos do agronegócio eletrodependentes são as propriedades produtoras de leite, onde o laticínio é armazenado dentro de locais refrigerados. No caso de falha nesse sistema de refrigeração, o produtor coloca em risco as propriedades sanitárias da bebida.

Outro exemplo bastante comum é o setor aviário, onde granjas de galinhas são construídas dentro de galpões com temperatura controlada. Quando ficam sem energia elétrica, esses galpões perdem a refrigeração e acabam se tornando ambientes muito quentes, colocando em risco os animais criados no espaço.

Além disso, algumas propriedades rurais estão inseridas no contexto da agroindústria e contam não só com uma estrutura de produção, mas também de industrialização e comercialização dos produtos como vegetais, laticínios ou carnes. 

Os processos que envolvem esse tipo de atividade também necessitam de fornecimento de energia elétrica para abastecer o maquinário industrial utilizado na produção.

Diferente do cenário urbano, onde vários cabos levam energia para o mesmo ponto, no cenário rural muitas vezes existe apenas uma fonte de conexão. Dessa forma, apenas um circuito leva a energia da fonte até a propriedade, o que deixa a produção vulnerável quanto ao fornecimento de energia. 

Portanto, se a conexão elétrica dos cabos sofre uma interrupção, a propriedade rural fica sem energia elétrica e toda a produção é comprometida.

Conceito de microrredes

Com o cenário rural contextualizado no âmbito do consumo de energia elétrica, é possível compreender de maneira mais clara a importância da aplicação de projetos de microrredes nas propriedades.

As microrredes estão dentro do conceito das redes elétricas inteligentes e já são bastante consolidadas em cenários urbanos de grandes cidades. 

Com a eletrificação das propriedades rurais, esse tipo de projeto passa a fazer sentido como benefício para o agronegócio, com o objetivo de manter a confiabilidade no fornecimento de energia.

Baseada em sistemas de análise e monitoramento da qualidade de energia fornecida pela concessionária de distribuição, fontes alternativas locais e estado das cargas, a tecnologia da microrrede identifica quando a propriedade não tem energia na rede elétrica e dá prioridade para uso da energia fornecida pelas fontes alternativas de energia locais, além de iniciar um processo de priorização de cargas. 

Ou seja, o fundamento da microrrede é ser um sistema de gerenciamento e monitoramento com o objetivo de estabilizar a geração de energia dentro da propriedade.

Além de identificar a interrupção da conexão da energia fornecida pela concessionária, a microrrede faz a varredura de todas as fontes de energia disponíveis no sistema — seja energia solar, biogás, eólica, entre outras — e controla o fornecimento escolhendo automaticamente a fonte mais adequada no sentido de qualidade de potência energética e custo-benefício para a solução através dos algoritmos de otimização do sistema.

Energia renovável e microrredes inteligentes: mais eficiência e sustentabilidade no agro

O maior benefício de utilizar sistemas de microrredes no cenário do agronegócio é garantir a confiabilidade energética durante todo o tempo, impedindo que imprevistos coloquem em risco a propriedade e os trabalhos realizados na produção.

Resolvendo as dores dos exemplos citados anteriormente, as microrredes impedem que processos de refrigeração sejam interrompidos, locais de armazenamento sejam danificados e atividades de produção sejam prejudicadas por falta de energia, pois a solução mantém o fornecimento, independente da fonte.

Essa possibilidade de ter um projeto de energia com segurança, estabilidade e confiabilidade não só facilita a vida dos produtores rurais, como também torna o agronegócio um mercado mais competitivo e moderno, com soluções que resolvem os problemas de forma eficaz e econômica.

Entenda mais sobre segurança energética

Microrredes inteligentes e energia renovável

Os projetos de microrredes funcionam de forma inteligente e conectada. A solução está relacionada ao controle de energia, com um software instalado dentro de um controlador que fica constantemente gerenciando e monitorando as várias fontes de energia disponíveis na propriedade.

Durante esse monitoramento, o próprio sistema faz um balanço e identifica qual rede é a melhor para ser utilizada naquele momento. Por exemplo, durante os dias de sol em propriedades rurais que têm painéis solares, a energia fotovoltaica pode ser a opção mais econômica e eficaz.

Em produções que possuem criação de suínos, por exemplo, os tanques com matéria orgânica podem ser utilizados para produção de biogás e, em determinado momento, podem ser utilizados de forma a substituir outra fonte de energia.

Com os dados e históricos dos potenciais de geração de energia que a propriedade possui, o gestor configura o sistema para que a escolha da distribuição seja feita de forma autônoma.

O papel das microrredes no campo da ESG 

A utilização das microrredes incentiva a geração a partir de fontes de energia renovável, contribuindo com menores custos, sustentabilidade e responsabilidade social nas propostas das propriedades rurais.

Do ponto de vista da ESG (governança ambiental, social e corporativa), as microrredes podem ser associadas de duas formas:

  • Ambiental: com a geração de energia renovável, que reduz a agressão  ao meio ambiente e promove responsabilidade ambiental nas propriedades rurais.
  • Social: com redução de custos, os pequenos, médios e grandes produtores têm menor impacto financeiro na geração de energia alternativa, além de ter mais economia com o controle da tensão da rede, que muitas vezes aumenta a vida útil dos equipamentos e evita danos com surtos de energia.

Conheça a transição energética como caminho para a sustentabilidade 

Microrredes de energia: o futuro da gestão energética no campo

As atividades do agronegócio que movimentam o mercado e a economia brasileira são primordiais para manter o bom funcionamento do setor, que segue em crescimento acelerado.

Para isso, é fundamental que as propriedades rurais, sejam elas de pequeno, médio ou grande porte, com estruturas de agroindústria ou não, tenham bons processos em todas as etapas de produção.

Um dos itens indispensáveis para que isso seja possível é a garantia de uma rede de energia constante, estável e de boa qualidade, que ofereça o menor risco de falha ou alto custo para que o produtor possa ter segurança durante os trabalhos.

As microrredes são fortes aliadas para que esse cenário avance no Brasil, atuando como um sistema de monitoramento e gerenciamento. Dessa forma, as propriedades rurais têm projetos com confiabilidade e eficiência energética para realizar suas atividades sem interrupções.

No contexto urbano, as microrredes já são uma realidade em projetos onde a falta de energia pode causar grandes impactos, como hospitais, clínicas e ambientes comerciais, como shoppings e indústrias. 

Tendo em vista o avanço do agronegócio e a modernização dos processos, as perspectivas para que produtores rurais se adaptem às novas tendências, aplicando projetos de microrredes em suas propriedades, é promissora.

COMPARTILHE ESSE POST: