• pt-br
+55 (48) 3239-2000
comercial@certi.org.br
  • pt-br

Proteção da rede elétrica: entenda a importância da automação no sistema de distribuição de energia

COMPARTILHE ESSE POST:

Os sistemas de proteção da rede elétrica ainda precisam de alguns avanços para tornar as redes de distribuição de energia cada vez mais inteligentes e autônomas, capazes de identificar, comunicar e solucionar falhas de forma mais rápida e eficiente.

Para isso, aperfeiçoar a comunicação é um passo essencial, seja para colocar em prática esses avanços, seja para dar seguimento às tendências tecnológicas trazidas por soluções IoT aplicadas no sistema de proteção e digitalização da rede elétrica. É essa melhoria da comunicação que vai garantir a alta disponibilidade necessária para dar mais agilidade e precisão ao atendimento de ocorrências.

Neste post, conheça como a tecnologia pode ajudar na proteção da rede elétrica e quais são os benefícios que a automação aplicada à distribuição de energia pode trazer. Acompanhe!

Proteção da rede elétrica: como a tecnologia pode ajudar a melhorar a segurança nos sistemas de distribuição

Soluções de proteção da rede elétrica tem como seus principais objetivos permitir a alta disponibilidade de comunicação entre as aplicações do sistema e fornecer a capacidade de processamento local para auxiliar nas ações de proteção.

Esse gateway busca, assim, garantir a implementação de protocolos de redundância, fazer a interação entre os Dispositivos Eletrônicos Inteligentes (do inglês, IED) e serviços de proteção alocados em nuvem, permitindo o processamento de informações para as aplicações de proteção adaptativa, seletividade lógica e self-healing.

O desenvolvimento do sistema de proteção da rede elétrica de distribuição envolve três tecnologias distintas: hardware, firmware e software.

O primeiro deles se refere ao desenvolvimento ou aquisição de equipamentos para a solução, que permita a configuração, adaptações e implementações do firmware. Por sua vez, o desenvolvimento desse firmware passa pela contratação de fornecedores capazes de desenvolvê-lo e integrá-lo aos equipamentos selecionados.

Importante notar que o desenvolvimento do firmware deve levar em consideração os IEDs de maior presença na rede elétrica. São esses dispositivos que vão receber e enviar os comandos necessários para o hardware, que serão processados pelo firmware e analisados pelo software de gestão desenvolvido para  solução de proteção da rede elétrica de distribuição.

Assim, por fim, o papel do software é receber as informações do sistema, processá-las e fornecer resultados que facilitem a adaptação e o funcionamento das aplicações de proteção adaptativa, seletividade lógica e self-healing.

Esses resultados são, então, compartilhados com o firmware e o hardware que fecharam o ciclo de comunicação com os IEDs, adaptando os parâmetros e a proteção de forma local, remota e automatizada.

Note-se que o percurso inverso também ocorre, ou seja: os Dispositivos Eletrônicos Inteligentes enviam dados para o hardware do sistema de proteção da rede elétrica para serem interpretados pelo firmware e analisados pelo software. Esse ciclo deixa claro como essas três diferentes soluções funcionam em conjunto e de forma interdependente, o que permite levar mais inovação aos sistemas de proteção.

Como vimos, o objetivo desse tipo de solução é melhorar o sistema de proteção da rede elétrica de distribuição, especialmente por meio da melhora do processo de comunicação. É essa característica que permitirá a implantação de soluções mais inovadoras e disruptivas, trazendo um avanço concreto para os sistemas de proteção das redes atuais.

Leia mais: As inovações que estão transformando a distribuição de energia elétrica

Quais os benefícios da automação da rede de distribuição de energia?

A automação da rede de distribuição de energia traz uma série de benefícios, tanto para as concessionárias quanto para os consumidores, sobretudo no que se refere à estabilidade, confiabilidade e proteção da rede elétrica. Destacam-se:

  • Sistema de comunicação confiável para identificação de falhas: alta disponibilidade de comunicação para aplicações críticas através da implementação de protocolos de redundância;
  • Aperfeiçoa a sensibilidade do sistema de proteção: adaptação dos parâmetros de proteção dos IEDs em uma base de tempo real diária através da lógica de proteção adaptativa, promovendo o aperfeiçoamento da sensibilidade do sistema de proteção;
  • Melhora a seletividade de proteção: envio de parâmetros de bloqueio de IEDs em tempo real, após a detecção de falta, com o objetivo de possibilitar o aperfeiçoamento da seletividade de proteção através da lógica de seletividade lógica; 
  • Reduz a duração da interrupção de consumidores da rede (DEC): diminui o tempo do processo de religamento de clientes afetados por uma falta na rede elétrica;
  • Reduz a frequência da interrupção de consumidores da rede (FEC): evita o desligamento de clientes por seccionamento da rede fora da zona de proteção afetada e reduz o desligamento de clientes por erros e/ou falhas do sistema de parametrização da proteção;
  • Reduz o tempo de atendimento em uma situação de emergência/falta na rede elétrica (TMA): melhora o gerenciamento de equipes de restituição da rede, reduzindo o tempo médio de atendimento ao cliente. Além disso, providencia a reenergização de clientes da rede automaticamente e de forma inteligente;
  • Reduz riscos: diminui o risco de contato com pontos energizados próximos a cliente ocasionado por falhas na rede ao abreviar o tempo para identificação de faltas.

Leia mais: Aplicações da realidade virtual e aumentada no setor de energia elétrica

A proteção da rede elétrica envolve uma série de soluções que, atuando de forma conjunta, buscam garantir a disponibilidade de comunicação para trazer mais agilidade e precisão à identificação e atendimento a ocorrências.

Combinando hardware, firmware e software, uma solução IoT aplicada no sistema de proteção da rede de distribuição consegue estimular a adoção de práticas e ferramentas inovadoras e disruptivas. Tudo isso em busca de uma rede cada vez mais inteligente e autônoma.Para saber mais sobre o assunto, continue acompanhando nossos textos no blog da CERTI e, em caso de dúvida, entre em contato conosco.

COMPARTILHE ESSE POST: