• pt-br
+55 (48) 3239-2000
comercial@certi.org.br
  • pt-br

Movimentação de materiais: como otimizar a logística com um sistema MES

COMPARTILHE ESSE POST:

Movimentação de materiais é o processo de monitorar o fluxo de matéria-prima, material em processo, também conhecido como WIP (work in process) e produtos acabados no chão de fábrica. Isso inclui o rastreamento do deslocamento e do local de armazenamento, e o controle dos materiais dentro da indústria, além dos processos logísticos.

Para que seja bem feita, é importante que seja acompanhada por ferramentas específicas, que tragam mais precisão sobre o status e a localização de cada item. E isso pode ser feito por meio de sistemas como ERP, MES e WMS.

A seguir, veja mais detalhes sobre a importância do controle da movimentação de materiais para a indústria e como essas tecnologias podem ajudar a tornar o processo mais eficiente. Acompanhe!

Movimentação de materiais: qual a importância para a indústria

Por ser uma tarefa corriqueira, do dia a dia da empresa, muitos gestores acabam não dando a devida importância à movimentação de materiais dentro da fábrica.

No entanto, isso é um equívoco grave, uma vez que esse processo tem grande impacto no custo total da manufatura. Ou seja, quanto mais preciso e controlado ele for, mais a empresa se beneficiará, especialmente por meio da redução de custos.

Estabelecer controles e processos para que a movimentação de materiais seja realizada de forma segura e eficiente é fundamental para reduzir a ocorrência de falhas, como perdas, danos e até mesmo desvios de produtos, o que pode fazer a diferença no caixa da organização.

Ao saber onde cada item e insumo está, de onde saiu e para onde foi, permite à empresa economizar tempo, inclusive na logística, e identificar possíveis problemas com muito mais rapidez.

Tudo isso colabora para um controle de estoque mais eficiente. Assim, a empresa consegue controlar a quantidade de material utilizada, reduzindo seu inventário e sabendo exatamente quando os insumos devem ser repostos.

Leia também: Por que o layout fabril faz a diferença no ambiente produtivo?

Bloco K 

Por fim, a movimentação de materiais também é importante do ponto de vista regulatório. Um exemplo é o chamado Bloco K, que substitui o antigo Livro Registro de Controle de Produção e Estoque.

Trata-se de uma norma do governo que exige, entre outros detalhes, relatórios mensais para fornecer informações sobre produção, gastos com insumos e registro do estoque. Em outras palavras, a empresa precisa informar o que foi consumido, em termos de matéria-prima, para fazer um produto em relação ao item finalizado. 

Por exemplo: se foram consumidos 100 kg de insumos, é necessário que essa mesma quantidade esteja presente no produto acabado. Caso contrário, é necessário informar ao governo o que foi feito com a diferença. Isso é fundamental para fiscalizar possíveis irregularidades, como compras feitas com notas fiscais frias.

O sistema MES fornece todas essas informações, apontando exatamente quanto cada máquina consumiu de matéria-prima e o que foi gerado de produto semi-acabado e acabado. A partir desses dados, é possível gerar relatórios por meio do ERP. Saiba mais a seguir. 

Por que investir na gestão de materiais na indústria

Quando a empresa otimiza a movimentação de materiais, ela obtém ganhos importantes. Como vimos, o primeiro deles é a redução de custos, uma vez que diminuem-se os gastos com perdas, desvios e danos.

O aumento da capacidade produtiva é outro resultado dessa prática. Com um maior controle, é possível reduzir a ociosidade (de pessoas e máquinas), diminuindo atrasos entre operações e agilizando o ciclo de produção.

Além disso, a otimização da movimentação de materiais proporciona uma reconfiguração do layout de armazenamento e um controle mais preciso do estoque, o que também se reflete na otimização da capacidade produtiva e da logística da empresa.

Esses ganhos vão dar suporte para a criação de processo mais eficientes e integrados. Dessa forma, o controle dos materiais dentro da fábrica acontece com mais segurança e menos esforço.

Por fim, como comentamos, o aperfeiçoamento da movimentação de materiais também é importante do ponto de vista de adequação às legislações, ajudando a empresa e evitar custos com penalidades e a necessidade de adaptações.

WMS, ERP e MES: por que integrar tecnologias na logística

A tecnologia é imprescindível para otimizar a movimentação de materiais e as operações logísticas da empresa. Nesse sentido, existem três sistemas que têm sido muito utilizados na indústria: ERP, WMS e MES.

O ERP (Enterprise Resource Planning ou Sistema de Gestão de Empresas) é uma ferramenta que integra todos os setores da empresa, centralizando os dados em um único ambiente. Essa solução funciona como um guarda-chuva que abriga todos os outros sistemas utilizados pela organização.

Por sua vez, o WMS (Warehouse Management System ou Sistema de Gerenciamento de Armazém) é voltado para o controle de estoque e cadeia de suprimentos.

É por meio dele que se monitora a quantidade de matéria-prima e produtos acabados no estoque, onde esses itens e insumos se encontram dentro do armazém etc.

Por fim, o MES (Manufacturing Execution Systems ou Sistema de Execução da Manufatura) ajuda a organizar, controlar e monitorar tudo o que acontece no chão de fábrica, coletando e fornecendo dados sobre a movimentação de materiais, itens em processo e produtos acabados

MES: tecnologia para otimizar a movimentação de materiais

O MES é um sistema que pode integrar-se a outras tecnologias utilizadas no chão de fábrica. Se sozinho ele já traz benefícios fundamentais para a gestão de estoque e inventário, quando trabalha alinhado ao WMS, juntos eles garantem que a movimentação de materiais ocorra sem interrupções e com máxima eficiência.

Outra integração importante se dá com a tecnologia RFID, que realiza o controle de itens por meio de radiofrequência.

O funcionamento é simples: cada item do armazém possui uma tag que poderá ser lida por scanners e que traz todas as informações sobre a movimentação desses materiais: de onde saíram, para onde foram e onde se encontram neste momento.

A transição entre armazéns é feita automaticamente, por meio de portais que fazem a leitura das tags, sem a necessidade de um operador estar realizando o processo manualmente, item a item. E é o MES o sistema responsável por coletar e centralizar essas informações.

A Fundação CERTI atua no desenvolvimento de sistemas adequados para seus clientes, personalizando-os de acordo com as prioridades do projeto. O MES CERTI gerencia a execução e a operação da manufatura industrial, desde a programação produtiva até o despacho do produto final.

A ferramenta gera informações em tempo real por meio de módulos voltados para produção, agendamento, qualidade, manutenção e materiais, além de permitir a comparação entre o que foi planejado e o que está sendo de fato executado. Conheça o MES CERTI e saiba como podemos ajudar a sua empresa. Fale com nossos especialistas!

COMPARTILHE ESSE POST: