• pt-br
+55 (48) 3239-2000
comercial@certi.org.br
  • pt-br

Otimização de processos industriais para a competitividade do negócio

A transformação digital trouxe consigo consumidores mais exigentes e mercados voláteis. No âmbito internacional, as grandes empresas adotam estratégias digitais embasadas em tecnologias como a realidade virtual e a Internet das Coisas (IoT), com resultados relevantes em termos de economia de recursos e aumento na produtividade. Entretanto, no Brasil, ainda há grandes lacunas a serem preenchidas para que a otimização de processos industriais seja algo rotineiro para a indústria. 

A transformação digital da indústria  apresenta-se como uma forte tendência, por apresentar oportunidades únicas em termos de capacidade produtiva e competitividade. De acordo com o levantamento da Agência Brasileira de Desenvolvimento Industrial (ABDI), a economia no setor industrial será de, no mínimo, R$ 73 bilhões ao ano a partir da adoção do modelo de manufatura avançada. A redução de custos envolve ganhos em eficiência, redução nos custos de manutenção e consumo de energia.

Porém, para obter tais benefícios, é preciso contar com soluções que possibilitem transformar as instalações tradicionais em fábricas inteligentes, capazes de competir de igual para igual com as grandes corporações internacionais. Uma das mais eficazes tecnologias empregadas nesse sentido é a simulação de processos produtivos.

A digitalização de processos industriais é uma realidade

O uso de simuladores digitais que reproduzem processos reais apresenta-se como um pilar importante para a competitividade da indústria, que visa atingir patamares elevados no futuro próximo. De fato, a simulação de processos industriais é uma realidade, e as empresas que contam com este diferencial estão um passo à frente de seus concorrentes.

Estas indústrias são capazes de lidar com os grandes desafios de gestão presentes no contexto da Manufatura Avançada, em especial com aqueles relativos à natureza imprevisível dos processos de produção. Por meio do uso de modelos digitais que emulam processos reais, as indústrias que adotam a digitalização de processos viabilizam o fornecimento de bases para a experimentação virtual, capacitando gestores a prever efeitos causados pelas mais diversas alterações possíveis nos processos produtivos. Isso é uma vantagem significativa em termos de capacidade de planejamento, prevenção de riscos e perdas e potencial de inovação.

Vantagens da otimização de processos industriais

Por inúmeros motivos, a utilização das tecnologias digitais para a otimização de processos industriais é fundamental para o setor industrial. Os principais benefícios são:

  • Aumento da competitividade;
  • Diminuição da ociosidade;
  • Maximização de resultados (micro e macro processos).

Vamos nos aprofundar nessas questões. Destacamos seis razões – e suas vantagens –  pelas quais as indústrias devem utilizar simulação de processos produtivos:

  1. Possibilidade de testar mudanças na linha de produção sem custos, utilizando o simulador para emular o processo real. Utilizando a simulação de processos produtivos, a indústria é capaz de detectar problemas e identificar melhorias antes de implementar o processo na linha de produção real.  
  2. Capacidade de solucionar potenciais problemas antes início do processo produtivo, uma vez que a simulação reproduz fielmente o processo real de produção, viabilizando a visualização de problemas que prejudicam o desempenho da linha em sua versão virtual.
  3. Otimização da linha de produção a partir da identificação de alterações que levam à melhora do desempenho, por meio de testes e simulações feitos no ambiente virtual. 
  4. Visão aprofundada da produção, permitindo o teste de diferentes cenários, como a ausência de colaboradores e manutenção de equipamentos, possibilitando a tomada de ações preventivas em relação a estas adversidades
  5. Aumento da previsibilidade dos processos de fabricação e cronogramas de entrega que dependem do desempenho da linha de produção. Utilizando um simulador, pode-se lidar com cronogramas mais realistas, garantindo a satisfação do cliente quanto aos prazos de entrega. 
  6. Melhoria na comunicação entre gestores e gerência, por meio da validação de decisões e a avaliação de opções embasadas na apresentação de argumentos obtidos a partir de dados coletados a partir do modelo virtual.

Etapas da otimização de processos industriais

A simulação de processos produtivos passa por uma série de etapas em sua implementação. Veja quais são: 

1- Mapeamento 

Estudando as atividades realizadas, o simulador desenha um fluxo de tarefas, que será utilizado para aumentar a compreensão de como o trabalho é realizado. Assim, pode fornecer um parâmetro para o futuro. Isso ajuda na identificação de erros e posterior implementação de melhorias.

2- Identificação de falhas

Uma vez mapeado o processo, a identificação de gargalos e falhas que afetam a produtividade pode ser feita de forma mais precisa. Identificado o problema e seus impactos, aponta-se sua causa e é feito um diagnóstico para eliminá-la. Com a simulação, os esforços aplicados no sentido de suprimir falhas e suas consequências são muito mais eficientes.

3- Eliminação de etapas desnecessárias

Aqui identifica-se a execução de atividades desnecessárias que porventura estejam sendo realizadas durante o processo, inclusive as tarefas repetitivas e desempenhadas por colaboradores humanos, mas que podem ser automatizadas. 

4- Melhorias na utilização dos recursos

O desperdício de recursos como tempo, ferramentas e materiais, assim como os processos ineficazes, prejudicam o andamento da produção e resultam em prejuízos. Durante esta etapa, avaliam-se as perdas e estuda-se como a produtividade pode ser aumentada com a utilização racional de recursos, seja por meio da modificação do layout, melhorias no processo de comunicação, integração entre setores ou mudanças no método de execução.

5- Formalização do novo método

Finalmente, após a otimização do processo, as mudanças na execução são computadas e os ajustes formalizados. O novo método é apresentado aos colaboradores, é adotado na linha de produção e se torna referência para o treinamento de novos funcionários, que aprendem de acordo com o método mais adequado desde o início.

Conclusão

A simulação de processos produtivos gera mudanças que tornam os processos mais eficientes, o que reduz o custo de produção, melhora o potencial de capacitação de pessoas e fomenta a inovação. Ela também colabora com a diminuição dos erros no planejamento, permitindo fazer ajustes nos projetos ainda na fase de prancheta e diminui o tempo necessário para fazer mudanças na linha de produção. 

Ademais, permite que sejam feitos testes a baixo custo, sem a necessidade de paradas de produção, mantendo o chão de fábrica inalterado enquanto se realizam mudanças no modelo virtual. A produção se torna mais precisa, e a alta velocidade das simulações permite que a indústria crie novos produtos sem a necessidade de longos planejamentos e reorganização de maquinário. 

Além disso, por contarem com mecanismos de Inteligência Artificial integrados, os softwares de simulação são capazes de aprender com eventuais erros, e tornar os resultados cada vez mais precisos e adequados às expectativas. 

Apostar na otimização de processos industriais digitalizando processos produtivos e emulando o ambiente fabril por meio de softwares especializados é uma necessidade. E, para que as indústrias brasileiras sigam cada vez mais competitivas, é necessário que os players do mercado nacional possam contar com parceiros como a CERTI

Por intermédio de iniciativas como o LabFaber, a CERTI pode proporcionar um ambiente ideal para a implementação dos simuladores de produção, oferecendo a solução ideal para empresas dos mais variados segmentos. Entre em contato conosco e conheça todo potencial de nossas soluções.

Português