• pt-br
+55 (48) 3239-2000
comercial@certi.org.br
  • pt-br

Os impactos da Transformação Digital para Metrologia e Instrumentação

COMPARTILHE ESSE POST:

Quem lida com metrologia e instrumentação sabe que o cotidiano está sempre mudando. Atualmente, a transformação digital tem trazido novos conceitos, como “internet das coisas”, “gêmeo digital”, “big data”, “machine learning”, “data science”, dentre outras tantas tecnologias. Nesse contexto, qual será o papel dos profissionais de instrumentação e metrologia? Quais os desafios para os especialistas na área?

Ao avaliar as transformações no ramo da metrologia, nota-se que estamos vivenciando uma mudança de paradigma. Há uma mudança em curso que impactará na forma habitual de olhar para as medições. O grande interesse de quem deseja medir algo deixa de ser o mensurando em si e passa a ser a informação que pode ser obtida a partir do sinal adquirido. A atividade de medição passa a ser então motivada pelo desejo de se conhecer o comportamento de processos e sistemas, e não apenas para verificar o estado de certa variável ou a adequação a normas.

Tratamento de dados: instrumentação para tomada de decisão

Isso explica a emersão dos cientistas e engenheiros de dados, especialistas em extrair informações a partir de um conjunto de dados que servirão de base para a tomada de decisão em diferentes níveis hierárquicos e diferentes contextos, incluindo, é claro, a metrologia e instrumentação. Aqui na CERTI, por exemplo, estamos usando os dados da prestação de serviços tecnológicos para entender como a nuvem de dados de calibrações, ensaios, medições e avaliações da conformidade podem impactar os negócios, clientes e fornecedores de equipamentos ao redor do mundo. 

Entretanto, é importante que se reflita um pouco sobre a qualidade das decisões baseadas em dados. Sua assertividade depende diretamente da qualidade dos resultados obtidos por algoritmos de processamento de dados (como redes neurais ou análises de Fourier, entre outros tantos métodos). A confiabilidade da saída de tais algoritmos depende da qualidade dos dados adquiridos e de sua representatividade ao fenômeno que se deseja observar.

O papel do profissional de instrumentação e metrologia

Nesse contexto o papel do profissional de instrumentação e do metrologista pode mudar de enfoque, mas sem ter sua relevância diminuída. A definição de transdutores e de sistemas de medição, a aquisição e o tratamento de dados permanecerão como atividades primordiais para garantia da qualidade, monitoramento de condição e avaliação de integridade na indústria 4.0. 

Entretanto, o papel demandado do profissional de instrumentação e metrologia não se limitará a gerar dados ao analista. Este profissional irá garantir que dados sejam adquiridos de forma confiável e adequada para uma análise de dados conseguinte. Em última instância, ele será um dos responsáveis pela qualidade das decisões tomadas a nível gerencial.

Entender como a incerteza de medição se propaga por meio dos algoritmos de processamento, e como minimizar sua influência, trará confiabilidade à tomada de decisão. E é atividade em que profissionais de instrumentação e de metrologia podem ser fundamentais como parte do processo e em equipes multidisciplinares com especialistas cientistas de dados. 

E é pensando nessas mudanças do setor, que a CERTI tem direcionado suas pesquisas para fornecer fundamentos aos profissionais e ajudar na evolução conjunta dos empresas e cadeias produtivas. Cada cliente tem suas necessidades, por isso a discussão deve ser direcionada e exclusiva à realidade de cada organização em seu contexto. Aqui na CERTI já trabalhamos nos setores têxtil, proteína animal, metal-mecânico, refrigeração.

Se você ficou interessado no tema, pode entrar em contato com a gente para alinharmos como auxiliar a superar as suas barreiras 🙂 metrologia@certi.org.br

COMPARTILHE ESSE POST: